25 de jul de 2018


Plenária Estadual da CTB Minas

Companheiros e companheiras

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras de Minas Gerais (CTB-MG) convoca à todos para a Plenária que irá acontecer dia 03 de agosto de 2018 de 09h às ​16 h, no auditório do Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro-Minas), situado na Rua Jaime Gomes, 198, bairro Floresta.

Pauta: Conjuntura, Organização da CTB , Plano de Ação e Informes.

Gentileza confirmarem presença ou justificarem ausência nos telefones (031) 3271-6673 ou (31) 98408-2738. Falar com Cristina ou Lorena.

Gentileza preencher o formulário confirmando presença acessando o link => https://goo.gl/Kmafi5

Contamos com a presença de todos.

Obs: Em caso de mudança de local, faremos contato.

Atenciosamente.
Gelson Alves
Secretário Geral CTB Minas

Nota da CTB contra o substitutivo da PEC 49

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, na sua constante luta em favor dos trabalhadores e trabalhadoras coloca-se, como deve ser, contra o substitutivo n° 1 da PEC 49, que coloca o piso salarial na Constituição, com jornada de 24h, para todas as oito carreiras da educação pública estadual. 

O substitutivo apresentado pela oposição (PSDB/DEM e outros) é muito mais um “disruptivo”, no sentido negativo do termo, é uma ruptura brutal, um retrocesso contra os profissionais da educação e não um avanço. Por isso a CTB é favor da aprovação do texto original da PEC 49, debatido e construído junto à categoria dos professores e das outras carreiras envolvidas e representa o anseio das mesmas.

O substitutivo apresenta vários problemas como, por exemplo, a supressão do vencimento inicial, o que possibilita que haja a volta do subsídio no próximo governo de Minas. É previsto também que se aplique somente ao magistério e aos especialistas, deixando de lado as outras carreiras da educação no estado (ASB, ATB, Analista da Educação Básica, Analista Educacional e Técnico da educação básica). Acaba, também, com a garantia do Piso salarial integral para jornada de 24 horas semanais, que é contemplada na PEC 49; o substitutivo, porém, abre a possbilidade de interpretação de uma jornada de até 40h, com um salário proporcional.

Além disso, retira o termo “vencimento básico”, e isso pode submeter o reajuste à vontade do governador, no entanto, um ganho da PEC 49 é automatizar o reajuste conforme o índice do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), não deixando à mercê de decisão governamental. Outro problema é que se estipula um prazo para que a categoria reivindique os retroativos de 2017/18, que são os índices que ainda não foram concedidos do PSPN.

Caso a categoria não conquiste o/s reajuste/s ainda este ano, deverá abrir mão de continuar reivindicando, o que, para a CTB e para os trabalhadores/as da educação é inaceitável. Enfim, o substitutivo acaba com o objetivo da PEC 49, pois elimina a bandeira pela qual os trabalhadores/as da educação lutam, ou seja, que na nossa educação estadual nenhum trabalhador/a do magistério receba menos do que o valor do Piso Salarial integral para a jornada de 24 horas.

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

23 de jul de 2018

Ex-diretora do Sinpro Minas toma posse da nova reitoria da UEMG

Na manhã desta segunda-feira, 23 de julho, a professora e ex-diretora do Sinpro Minas Lavínia Rodrigues tomou posse da nova reitoria da Universidade Estadual de Minas Gerais – UEMG. O evento foi realizado na sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais – BDMG. Como vice-reitor assumiu Thiago Torres, também professor da UEMG. Com a vitória dessa chapa, pela primeira vez há uma reitoria com representação de unidades da UEMG do interior, já que Thiago integra a Unidade de Frutal.
A chapa “Somos todxs UEMG” venceu com 83% dos votos e entre as propostas construídas estão a implantação do programa de reitoria itinerante, criação de uma Secretaria de assuntos comunitários, defesa e garantia da autonomia universitária, entre outras.
Em carta à comunidade acadêmica da UEMG, publicada junto ao Plano de Gestão 2018-2022, Lavínia e Thiago ressaltaram o caráter democrático desta construção: “Reafirmamos nossa convicção de trabalhar de forma coletiva, atentos à dimensão das transformações do nosso cenário, procurando meios de resistir e superar essa crise que estamos passando, na crença inconteste sobre a importância da universidade pública para a construção de um projeto de sociedade democrática, inclusiva e mais justa.”
A presidência e diretoria do Sinpro Minas estiveram presentes na cerimônia de posse como forma de prestigiar esse importante passo na trajetória de Lavínia, que há tantos anos está nas trincheiras por uma educação pública e de qualidade.
Mais sobre Lavínia Rodrigues:
Lavínia atua na área da educação há mais de 30 anos. Psicóloga com mestrado em educação, já pertenceu a conselhos de educação, atuou muitos anos como dirigente do Sinpro Minas, da FITEE (Federação Interestadual de Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino) e da CONTEE (Confederação Nacional de Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino).
No Sinpro Minas, Lavínia também apoiou em 2007, a criação da revista Elas por Elas, que passou a fazer parte das lutas do sindicato em apoio à emancipação feminina. Em 2012, foi a idealizadora da Comenda Clara Zetkin e a cada ano o Conselho Editorial da Revista faz a indicação de mulheres a serem homenageadas.
Atualmente é também coordenadora da Pós-Graduação Lato Sensu na FaE, membro do NDE – Núcleo Docente Estruturante do Curso de Pedagogia e integra o Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Professores, Trabalho Docente e Discurso Pedagógico.
Imprensa Sinpro-MG
Foto: Divulgação Sinpro-MG

20 de jul de 2018

Manifesto pela reconstrução do Brasil é lançado em Belo Horizonte


Foi lançado terça-feira, 17, no Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG), em Belo Horizonte, os manifestos “Unidade para Reconstruir o Brasil ” e “Por uma frente para o Parlamento compromissada com a reconstrução e o desenvolvimento do Brasil”. Os documentos foram elaborados e assinados pelas fundações ligadas ao PT, ao PCdoB, ao PSOL, ao PSB e ao PDT e propõem um novo projeto de desenvolvimento baseado na articulação entre desenvolvimento soberano, questão social com destaque para o combate às desigualdades sociais e o resgate e aprofundamento da democracia.

O economista Diogo Santos, membro da Seção mineira da Fundação Maurício Grabois explicou que “o Manifesto propõe um novo projeto nacional de desenvolvimento como eixo central da unidade programática da Esquerda brasileira. E o vértice desse projeto é o desenvolvimento soberano”. Diogo Santos enfatizou também que o manifesto busca apresentar uma visão articulada entre os grandes desafios nacionais e o projeto nacional capaz de enfrentar tais desafios.

Em nome da Fundação Lauro Campos (PSOL), Érico ressaltou a urgência da construção da unidade programática, pois estamos diante de um governo que ataca abertamente os interesses da classe trabalhadora.
Oswaldo Maneschy da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini (PDT) destacou que é preciso intensificar o dialogo com os trabalhadores apresentando a alternativa defendida pela Esquerda.
Alexandre Navarro, representando a Fundação João Mangabeira (PSB), defendeu que na próxima legislatura da Câmara Federal, os Partidos progressistas atuem em conjunto, a partir da unidade construída com o Manifesto, para fazer avançar as pautas estratégicas.
Pela Fundação Perseu Abramo, Isabel dos Anjos, defendeu que a unidade em construção entre as Fundações Partidárias é uma conquista importante para o povo brasileiro, pois fortalece a esperança e a luta por outro rumo para o Brasil.
O evento seguiu com as falas dos representantes dos partidos e organizações políticas presentes. Além dos partidos signatários do manifesto, estiveram presentes e reafirmaram a importância da iniciativa as Brigadas Populares, o PCO e a Refundação Comunista.
Clique aqui e leia o manifesto na íntegra

17 de jul de 2018

PLR 2018: Metalúrgicos da Teksid aprovam acordo negociado pelo sindicato e a Comissão de Empregados


Os trabalhadores da Teksid aprovaram por unanimidade, em assembleia realizada no último domingo (15), no Clube dos Metalúrgicos, em Betim, o Acordo Coletivo de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de 2018 negociado entre o Sindicato, a Comissão de Empregados e a empresa.
O valor total da PLR deste ano é de R$ 3.700,00, dividido em duas parcelas. A primeira, de R$ 3.550,00, deverá ser paga até o dia 2 de agosto e a segunda, de R$ 150,00, condicionada ao cumprimento das metas estabelecidas, até 31 de janeiro de 2019.

"Entendemos que a PLR deste ano é razoável, diante do quadro de dificuldades que temos enfrentado, com inúmeras demissões e direitos retirados dos trabalhadores e trabalhadoras", avalia o presidente do Sindicato, João Alves de Almeida.

Segundo ele, mesmo em um cenário difícil e diante da choradeira de sempre da patronal, a diretoria do Sindicato e a Comissão de Empregados não mediram esforços nas negociações. "A diretoria e a Comissão fizeram um grande trabalho para se chegar à proposta aprovada na assembleia, após quatro rodadas de negociações. Por isso, considero que os trabalhadores da Teksid saíram vitoriosos", avalia João Alves. 

Solidariedade

Para o presidente da Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal) e empregado da empresa, Marcelino da Rocha, que participou das negociações, a PLR deste ano na Teksid ficou dentro dos parâmentros dos demais acordos negociados na base de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas.

"Parabenizo aos diretores do Sindicato que trabalham na fábrica e à Comissão de Empregados, que souberam chegar à essa definição e por defenderem a proposta, aprovada por unanimidade pelos trabalhadores que participaram da assembleia", disse.

Marcelino também ressaltou a importância de os trabalhadores e trabalhadoras se unirem ao Sindicato, se mobilizarem e se solidarizarem para avançar nas conquistas.

"Vivemos num sistema capitalista que impõe à sociedade um individualismo cada vez maior. A classe trabalhadora sempre foi irmã, sempre foi solidária. Em tempos anteriores, por exemplo, tinha até caixinha dentro das fábricas para o casamento dos filhos, para o batizado de uma criança, para quem perdia o telhado da casa durante as chuvas fortes e até mesmo para ajudar os motoristas que transportavam os trabalhadores. À medida em que quebramos isso, vamos nos isolando e deixando os governantes, os políticos não comprometidos com o povo e os patrões cada vez mais à vontade para fazerem as atrocidades que temos visto nas relações de trabalho. Portanto, se houver uma maior mobilização e solidariedade entre os trabalhadores e todos se envolverem no debate daquilo que é do interesse coletivo, certamente, o resultado das negociações da PLR e de outras lutas será bem superior", observa.   
       
Na assembleia, os trabalhadores também aprovaram o desconto negocial de 3% na primeira parcela, para manutenção do Sindicato e das atividades sindicais.

Fonte: Imprensa do Sindicato


Time do SAAEMG vence torneio de futsal

O time do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar de Minas Gerais (SAAEMG), que é formado pelos funcionários da instituição e treinado pelo vice-presidente Amaury Alonso Barbosa, conquistou o tricampeonato da 12º edição da Copa SAAEMG de Futsal no último sábado, em partida realizada na quadra da Associação Recreativa Oi Art, no bairro Santa Tereza, em Belo Horizonte. A equipe derrotou os atletas do Colégio Santo Agostinho/Sedesp por 04 a 02.
Os gols do sindicato foram marcados pelos seguintes jogadores: Vinícius Gomes, Luiz Fernando Lúcio e Marco Aurélio Borges (2 gols). Já pelo time do Colégio Santo Agostinho, marcaram os seguintes jogadores: Guilherme Bicalho e Bruno Bernardes.
O atleta Vinícius Adam, que joga pelo sindicato, conquistou a artilharia do torneio ao marcar 17 gols. O título de melhor jogador ficou com Guilherme Bicalho, do Santo Agostinho/Sedesp. Já o título de melhor goleiro ficou com Guilherme Blacher, da Escola Superior Dom Hélder Câmara.
Ao final do jogo, o treinador do time campeão e vice-presidente do sindicato, Amaury Alonso Barbosa, falou aos participantes do evento:
“Gostaria de agradecer a participação de todas as equipes que abrilhantaram a 12ª Copa SAAEMG de Futsal, esse evento esportivo caiu nas graças dos associados e a cada ano vem se consolidando como uma excelente opção de lazer para a categoria. A diretoria atual vem procurando melhorar a cada ano esse lazer, assim como oferecer mais segurança para nossos associados. Este ano, por exemplo, foi contratada uma equipe de fisioterapeutas para dar um atendimento de primeiro socorro aos atletas e, graças a Deus, não tivemos nenhum problema de contusão mais séria. Para o próximo ano, vamos estudar um jeito de incentivar mais a participação dos associados, por entendermos que a prática de esporte é considerada como forma de ter qualidade de vida, faz bem para o corpo e para a mente,” disse ele.
Terceiro lugar
A disputa pelo terceiro lugar foi entre os auxiliares de administração escolar da Escola Superior Dom Hélder Câmara e Centro Universitário Newton Paiva. A primeira levou a melhor ao vencer por 05 a 03.
Os gols foram marcados pelos seguintes jogadores: James Douglas, Cristialan Silva, Abraão Rochael (2 gols) e Mathusalem David. Descontaram para o time do Centro Universitário Newton Paiva os jogadores Daniel Bragantini (2 gols) e David da Silva.
Ao final dos jogos, o sindicato ofereceu um churrasco no clube Oi Art para os jogadores e familiares que, na final, compareceram em bom número ao ginásio do clube.
Clique aqui e veja as fotos

Copa

A competição é uma iniciativa do sindicato que busca a valorização da prática esportiva e a integração dos Auxiliares de Administração Escolar.
Até aqui, seis equipes/escolas já foram campeãs: Faculdade Milton Campos (tricampeã), Colégio Magnum - Cidade Nova (bicampeão), PUC Minas (campeã em 2012), Colégio Santo Agostinho-BH (campeão em 2013), Colégio Santo Antônio (campeão em 2014 e 2015) e SAAEMG (campeão em 2016, 2017 e 2018).

Gilson Reis: O Brasil passa pelo momento mais agressivo e crítico de retirada de direitos dos trabalhadores


O vereador de Belo Horizonte, Gilson Reis (PCdoB), participou no último sábado (14/07) da reunião da diretoria plena da Federação Interestadual de Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – FITEE.
Gilson foi convidado a fazer a análise de conjuntura, pela qual foi muito aplaudido pelos participantes do evento pela sua clareza, acuidade analítica e discernimento da realidade.
O vereador, que também é coordenador-geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE), ressaltou a crise político-econômica brasileira, contextualizando a mesma em um cenário mundial de crise do capitalismo, e o esforço que os representantes das forças produtivas fazem para resgatar o capital e os lucros em cima da classe trabalhadora. Ou seja, a recuperação dos ganhos do capital, como é observado também historicamente, se dá através da precarização das relações de trabalho e retirada de direito dos trabalhadores. O Brasil, dentro desse contexto, passa pelo momento mais agressivo e crítico de retirada de direitos dos trabalhadores, com diversos ataques inclusive à CLT e à organização da classe trabalhadora em sindicatos.
Ao final, Gilson apontou que o caminho que se vislumbra para a classe trabalhadora tem que passar pela resistência e fundamentalmente pela união dos trabalhadores. Outra atitude que merece destaque é tentar compor maioria de trabalhadores nos parlamentos, pois a classe do capital financeiro já se encontra bastante representada nos legislativos e, se não elegermos trabalhadores para o parlamento, se torna mais difícil o desafio proposto de retomada da dignidade dessa classe.
Seguiu-se um debate muito profícuo com os presentes a partir dos elementos conjunturais expostos por Gilson Reis.

Texto e Foto: Clara Barreto


11 de jul de 2018

Sinpro Minas repudia exoneração arbitrária na UNIFAL - Universidade Federal de Alfenas


O Sinpro Minas - Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais manifesta seu repúdio a mais um caso de demissão arbitrária por parte das instituições de ensino. Desta vez, se trata da exoneração de um professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL).

Na portaria publicada no Diário Oficial da União, no último dia 05 de julho, o reitor da UNIFAL aplica ao professor Luciano Cavini Martorano a penalidade de demissão alegando que o professor procedeu de forma ociosa, o que é negado por seus alunos(as) que já se manifestaram publicamente contra a decisão. Isso demonstra que a exoneração foi feita de cima para baixo, sem qualquer compromisso com provas e argumentos concretos e muito menos com a comunidade acadêmica na avaliação do caso.

Em nota, os(as) próprios(as) aluno(as) questionam a condução do caso e reivindicam mais participação nas decisões da Universidade: “(…)nós, discentes dos cursos do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas – Campus Varginha, gostaríamos de reiterar nosso mais profundo repúdio às acusações pelas quais o professor tem passado, bem como à sua demissão. Acusações como desleixo, descuido, desatenção no trabalho não correspondem em absoluto ao trabalho do professor que conhecemos: exigente; empenhado em desenvolver o interesse pela matéria; estimulando sempre a curiosidade pelos temas da matéria, sempre compreensível, cordial e democrático”.

O Sinpro se solidariza com os/as estudantes, que tem suas vidas diretamente impactadas pela decisão que vai contra os princípios democráticos que deveriam ser vigentes em uma universidade pública.  Além disso, estende seu repúdio a qualquer forma de ataque aos direitos da categoria docente, independentemente de a instituição ser privada ou pública. Compreendemos que cada atitude arbitrária contra um/a professor/a representa um ataque muito maior à construção de uma educação de qualidade e transformadora, sobretudo no momento em que vivemos, de fortes ataques a conquistas históricas. 

Seguiremos na luta por mais valorização, respeito e democracia!

Diretoria do Sinpro Minas

Vice-presidente do Sindicado dos Músicos de Minas Gerais recebe título de Cidadão Honorário de Belo Horizonte na próxima quarta-feira


O músico percussionista José Natividade, mais conhecido como Zeca Magrão, atual vice-presidente do Sindicato dos Músicos Profissionais de Minas Gerais (Sindimúsicos), irá receber o Título de Cidadão Honorário de Belo Horizonte, dia 18 de julho, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, concedido pelo vereador Gilson Reis (PCdoB). Magrão nasceu na cidade de São Luiz (MA) e mora na capital mineira há 32 anos.

Há três anos, o percussionista é um dos integrantes do Movimento nos Bares da Vida – grupo que luta pela classe musical da cidade. Recentemente, os músicos, com o apoio de alguns vereadores, entre eles Gilson Reis (PCdoB), conseguiram derrubar uma norma da Prefeitura de Belo Horizonte que prejudicava a categoria.

“Hoje, as manifestações culturais na cidade são entendidas como atividades subsidiárias de entretenimento. Antes, com a Lei número 9.505/2008, o antigo Código de Postura da Prefeitura, o trabalho dos músicos não tinha esse reconhecimento”, explica Magrão.

Sobre o título que irá receber, o músico afirma que é um reconhecimento importante para todos da classe musical. “Não esperava receber esse título de cidadão honorário. Por ser nordestino, também já sofri muito preconceito. Então, acredito que esse reconhecimento consolida essa trajetória. Sou maranhense, sou do mundo, sou Minas Gerais”, lembra ele.

Magrão está em Minas Gerais desde 1986, quando participou do 1º Seminário Brasileiro de Música Instrumental em Ouro Preto, organizado pelo músico Toninho Horta. Desde então, Magrão já acompanha vários artistas como Saulo Laranjeira, Saldanha Rolim e Dona Jandira. Recentemente, ele participou do álbum da banda Jota Quest

Imprensa CTB Minas

                                          Zeca Magrão / Foto: Arquivo Pessoal



10 de jul de 2018

Final da Copa SAAEMG de Futsal será no próximo sábado

No próximo sábado (14), o Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar de Minas Gerais (SAAEMG) promove a final da 12º edição da Copa SAAEMG de Futsal. O duelo será entre os times do sindicato (SAAEMG) e do Colégio Santo Agostinho/Sedesp, a partir das 16h, na quadra do Clube Recreativo Oi Art (Rua Professor Galba Veloso, 327, bairro Santa Tereza).
O jogo pelo terceiro lugar será às 15h entre os times dos auxiliares de administração escolar do Centro Universitário Newton Paiva e da Escola Superior Dom Hélder Câmara.
As partidas que definiram a classificação dos dois finalistas foram no último sábado. O time do sindicato derrotou a equipe da Escola Dom Hélder por 5 a 1. Os gols foram marcados pelos jogadores Tiago Cardoso (2), Vinícius Silva (1) e Luiz Santos (2). O gol da Dom Hélder foi marcado por Cristialan Silva.
No outro jogo, o time do Colégio Santo Agostinho/Sedesp derrotou o Centro Universitário Newton Paiva por 7 a 2. Os gols foram marcados pelos atletas Guilherme Ferrari (1), Victor Pessoa (3), Guilherme Conde (2) e Washington Sá (1). O jogador Bruno Vieira descontou para o Newton Paiva ao marcar dois gols.
A Copa busca a valorização da prática esportiva e a integração dos auxiliares de administração escolar e seus familiares.
Todos os jogos da competição são apitados pela Federação de Esportes Estudantis de Minas Gerais (FEEMG).
Até aqui, seis equipes/escolas já foram campeãs: Faculdade Milton Campos (tricampeã), Colégio Magnum - Cidade Nova (bicampeão), PUC Minas (campeã em 2012), Colégio Santo Agostinho-BH (campeão em 2013), Colégio Santo Antônio (campeão em 2014 e 2015) e SAAEMG (campeão em 2016 e 2017). O sindicato premia as melhores equipes e também o artilheiro, o melhor goleiro e o destaque da competição.

           Finalistas: Time do sindicato (uniforme azul) e do Colégio Santo Agostinho/Sedesp (uniforme branco)
                                       

Sinpro Minas: Nova assembleia de professores do Izabela Hendrix

Diante do reiterado atraso no pagamento dos salários, o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro Minas) convoca os/as  professores/as que trabalham no Instituto Metodista Izabela Hendrix para nova assembleia.
Dia: 12/07 – quinta-feira
Hora: 18h30
Local: Sinpro Minas, Rua Jaime Gomes 198 – Floresta
Pauta: Os atrasos de pagamento; Retorno sobre as ações pelo jurídico do Sinpro; Novos rumos pra luta no segundo semestre.
Participe! Nossos direitos, nossa luta!

4 de jul de 2018

Trabalhadores da Tekfor aprovam PLR de 2018


Os metalúrgicos e metalúrgicas da Neumayer Tekfor aprovaram, por meio de plebiscito, na tarde desta terça-feira (3), a proposta de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de 2018, negociada entre o Sindicato, a Comissão de Empregados e a empresa.

A PLR deste ano, aprovada por 72,4% dos votantes, foi reajustada em 3,4%, comparada com a de 2017. O valor total é de R$ 4.000,00, dividido em duas parcelas. A primeira parcela, de R$ 2.700,00, deverá ser paga até o dia 30 deste mês e a segunda, de R$ 1.300,00, deverá ser quitada até 30 de janeiro de 2019 - mediante o cumprimento das metas estabelecidas no Acordo.

No plebiscito, os trabalhadores e trabalhadoras também aprovaram a contribuição negocial de 3% sobre o valor da primeira parcela para manutenção do Sindicato e das atividades sindicais em prol da categoria.

"Foram três rodadas de negociações com a empresa. A exemplo das demais negociações feitas pelo Sindicato este ano, diante das dificuldades impostas aos trabalhadores pela crise econômica e pela reforma trabalhista, consideramos que a PLR de 2018 foi a possível de ser alcançada neste momento", avalia o diretor do Sindicato Antônio Marcondes, que conduziu as negociações juntamente com o também dirigente da entidade Paulo Moreira dos Santos, o Paulinho Febem. 

Fonte: Imprensa do Sindicato.