18 de jan de 2017

Oposição parte para agressão física e mentiras no Sindicato dos Metalúrgicos de Betim


A eleição do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região (MG), que acontece nos dias 1, 2 e 3 de fevereiro, vem se tornando motivo para uma série de ações deploráveis por parte da chapa de oposição. O clima tranquilo do início do ano vem sendo substituído por uma tensão crescente entre o grupo atualmente no comando, da “Garra Metalúrgica”, e a chapa de oposição criada pelo Central Única dos Trabalhadores (CUT).
“A CUT montou esse grupo e trouxe pra cá pessoas de fora, de outros estados, inclusive alguns que são conhecidos como ‘seguranças’. Esses ‘seguranças’ já ameaçaram muitos companheiros nossos. Eles foram até a casa do tesouro do Sindicato no sábado, Edgar Lopes, ameaçá-lo na própria casa!”, contou o secretário de Previdência da CTB, Pascoal Carneiro. “Em outra ocasião, eles fecharam com o carro um companheiro da nossa chapa e tentaram agredí-lo no meio da rua. Ele se trancou no carro e conseguiu escapar, mas só porque ele conhece bem a cidade. Teve que despistá-los”, continuou.
Para Pascoal, as práticas condenáveis da oposição simboliza o desespero diante do apoio que a Chapa 1 vem recebendo. “Essa prática de bate-pau de eleição nós não admitimos. A nossa chapa é formada por gente da base, porque a CTB quer fazer crescer a luta de classes e a cosciência dos trabalhadores. Nós queremos uma eleição limpa, sadia, com debates de ideia e discussão política”, concluiu.
Anteriormente, a chapa concorrente já havia demonstrado sua falta de preparo ao tentar disseminar uma mentira entre os trabalhadores de Betim, que envolvia um empréstimo junto à Caixa Econômica Federal para a construção da nova sede. O boato só foi desmentido depois que o presidente do Sindicato, João Alves, visitou a Superintendência da CEF para emitir uma certidão que provava o contrário. “A sede foi construída com a contribuição dos trabalhadores, mais nada. Tudo bem fazer críticas, mas não dá inventar assim”, desabafou. “Nós seguimos o estatuto do sindicato à risca!”.
Tradição classista
A histórica chapa “Garra Metalúrgica” participa das eleições do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim desde 1987, quando se reinstalou ali uma das mais tradicionais agremiações sindicais do Brasil. Ela tem um histórico amplo entre os metalúrgicos locais, tendo sido fundamental no combate à ditadura. Em 2017, defende mais uma vez a linha do sindicalismo classista e aguerrido.
Sendo um sindicato fundador da CTB, o sindicato é de fundamental importância para a defesa dos interesses dos trabalhadores na região. A CTB auxilia no processo eleitoral através da representação do presidente da CTB-Minas, Marcelino Rocha, e do Secretário Nacional de Previdência, Pascoal Carneiro.
Portal CTB

Boulos é liberado; personalidades de todas as áreas se solidarizam com líder do MTST


O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, recebeu amplo apoio popular dos mais diversos setores da sociedade brasileira após ser preso nesta terça-feira (17), em São Paulo. Ele foi liberado da 49ª Distrito Policial no final da tarde de hoje. Boulos recebeu ativistas, defensores dos direitos humanos e políticos, como o vereador paulistano Eduardo Suplicy (PT).
Nas redes sociais, personalidades prestaram solidariedade ao líder do MTST, que foi detido pela polícia "por incitação à violência e desobediência civil" enquanto mediava uma reintegração de posse na zona leste da capital, conduzida com truculência pela Polícia Militar de SP e que desalojou 700 famílias, cerca de três mil pessoas, de uma área abandonada há mais de 40 anos.
A sua prisão foi para os trending topics do Twitter, e ficou entre os assuntos mais comentados do dia, com repercussão em todo o país. A maioria das mensagens destaca o direito à livre manifestação e denuncia a criminalização dos movimentos sociais.
"Em terra de ladrão de merenda, vai preso quem luta por moradia", escreveu Duvivier