20 de abr de 2017

GOLPE NA CÂMARA: só a GREVE GERAL pode barrar os ataques de Temer




Derrotado no dia anterior, Temer reúne tropa de choque e dá um golpe nos trabalhadores e trabalhadoras

Inconformados com a derrota, na noite de terça (18), quando o requerimento de urgência para votação da reforma trabalhista (PL 6787) não foi aprovado por número insuficiente de votos, mais uma vez, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), dá um golpe nos trabalhadores e trabalhadoras e recoloca em votação a matéria rejeitada ontem.

A aprovação do requerimento de urgência - por 287 votos a 144 - exclui o tema do debate na Comissão Especial da Reforma Trabalhista, atropelando o processo definido anteriormente, além de representar um rolo compressor sobre os direitos trabalhistas.
GOLPE NO PLENÁRIO DA CÂMARA: Regime de urgência da reforma trabalhista é votado novamente nos moldes da escola de Eduardo Cunha
A decisão de Maia, que recolocou em votação matéria já derrotada em plenário, repete manobras regimentais que foram utilizadas com frequência pelo ex-presidente da Câmara, o deputado cassado Eduardo Cunha. Deputados da oposição tentaram bloquear a sessão e levantaram placas com a frase "Método Cunha, não". 

Para o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, o resultado da votação é um ataque sem precedentes aos direitos da classe trabalhadora brasileira e também revela que o governo está com medo da reação popular.  

"A urgência da votação se justifica pelo medo dos parlamentares da Greve Geral do dia 28 de abril. Se eles pensam que esse ataque vai amortecer as mobilizações populares, estão muito enganados. O povo brasileiro vai se levantar, com muito mais força e determinação e realizar a maior Greve Geral da história deste país. Ocuparemos Brasília e trabalharemos diuturnamente para denunciar, um a um, os responsáveis pela destruição dos empregos e dos direitos trabalhistas, previdenciários e sociais dos trabalhadores e trabalhadoras”.

De Brasília, Sônia Corrêa - Portal CTB
Foto: Agência EBC

Encontro Regional da CTB prepara sindicalistas para período de lutas





Com o tema “Democracia e luta em defesa do emprego e dos direitos”, foi realizado no último dia 18 de abril, na cidade de Governador Valadares, o 3º Encontro Regional Vale do Rio Doce/Alto Rio Doce/Vale do Aço de Trabalhadores(as) da CTB-MG.

O encontro aconteceu no Polo da Fetaemg - Governador Valadares e contou com a participação de cerca de 60 entidades sindicais e mais de 200 participantes entre dirigentes sindicais, autoridades e movimentos sociais da região.

A Atualização da Conjuntura Internacional, Nacional e Estadual e a Tese Guia foi realizada pelo dirigente da Contee, José Carlos Arêas, presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva  e pela diretora nacional da CTB, Katia Gaivoto. 


A leitura e aprovação do balanço de atividades, metas e plano de lutas, bem como avaliação do trabalho na regional Vale do Rio Doce da CTB-MG foi realizada no período da manhã.

Para o dirigente da CTB, Jose Carlos Maia, o Encontro foi bastante positivo, pois ajudou no fortalecimento da Central, preparou os dirigentes para os encontros estadual e nacional e ainda colocou a CTB como elo condutor da unidade dos movimentos sindicais e sociais.



Aproveitando o Encontro da CTB, foi lançado em conjunto com movimentos sindicais e sociais mais um chamado de unidade para a batalha mais importante dos trabalhadores que é a GREVE GERAL, convocada para o dia 28 DE ABRIL contra a Reforma da Previdência e trabalhista que tanto mal causarão aos trabalhadores do campo e da cidade.