15 de set de 2011

Manifesto de apoio a greve dos professores de Minas Gerais

Manifesto de apoio à greve



Professores de escolas particulares fazem manifesto em apoio à greve na rede pública

Professores de escolas particulares de Minas Gerais fizeram um manifesto em apoio à greve na rede estadual de ensino. "Por acreditar que a luta pela valorização dos professores deve ser abraçada por todos aqueles preocupados com a qualidade da educação, reiteramos nosso apoio à greve da categoria".

No próximo dia 20/9, será realizado um ato público, em Belo Horizonte, em defesa da educação em Minas Gerais, no qual os professores vão reafirmar o apoio ao movimento e entregar o manifesto.

Para aderir ao manifesto de professores da rede privada, basta enviar um email com nome completo para contato@sinprominas.org.br ou preencher o formulário abaixo.
--------------------------------------------------------------------------------

Manifesto de apoio à greve dos


trabalhadores na rede estadual de ensino

Nós, professores da rede privada de Minas Gerais, apoiamos a greve dos trabalhadores da rede estadual de ensino. É um movimento justo e legítimo, ao reivindicar o pagamento do piso salarial nacional, estabelecido por lei federal, e o cumprimento do plano de cargos e salários da categoria.

Os servidores, em greve há mais de três meses, também denunciam a política educacional em prática no estado, que resulta em desvalorização dos educadores, diminuição de recursos para o setor, sucateamento da infraestrutura das escolas, ausência de estímulos à formação continuada, entre outras medidas prejudiciais à qualidade do ensino.

A proposta feita pelo governo de Minas, além de não cumprir a lei do piso, acaba com a carreira dos profissionais da educação.

Vale ressaltar que esta greve – assim como todas as outras – é naturalmente um movimento político, na medida em que expõe para todos a situação de abandono na qual milhares de educadores se encontram. Da mesma maneira, entendemos que a decisão do governo de não valorizar os professores, bem como não investir numa educação de qualidade, é uma decisão política.

Portanto, a acusação feita pelo executivo estadual de que a paralisação possuiria motivações políticas de outra natureza é infundada e busca unicamente confundir a sociedade e desmobilizar a categoria.

Por essas razões, e por acreditar que a luta pela valorização dos professores deve ser abraçada por todos aqueles preocupados com a qualidade da educação, nós, professores da rede privada de ensino, reiteramos nosso apoio à greve da categoria.

Desejamos, ainda, que o governo do estado respeite pais, alunos e toda a comunidade escolar e busque, o mais rápido possível, uma real solução para o impasse.

Fonte: site; sinprominas@org.br







Nenhum comentário:

Postar um comentário