29 de ago de 2013

CTB participa de debate com o governo sobre o programa Mais Médicos

A CTB participou nesta quarta-feira (28) de um debate promovido pela Secretaria Geral da Presidência da República e o Ministério da Saúde, em Brasília, a respeito do Programa Mais Médicos.
O objetivo do governo federal é aprofundar a interlocução com os movimentos sociais sobre os desafios do Programa, aprimorar sua implantação e ampliar o engajamento da sociedade civil, por meio da participação social.
Além da CTB, participam do evento representantes de 50 movimentos sociais urbanos e do campo, ONGs, conselhos, outras centrais sindicais, comunidades religiosas, dentre outros.
O vice-presidente da CTB Joílson Cardoso participou da reunião e destacou que os cetebistas estão muito atentos à questão proposta para o debate. “É notório que o país tem um grande déficit de médicos e é por isso que somos favoráveis ao Programa”, afirmou.
Para o dirigente, sem aumentar o número de profissionais da área será impossível universalizar o acesso a programas de saúde com qualidade para todos os brasileiros.
“O Sistema Único de Saúde (SUS) é uma grande conquista da população e precisamos fortalecê-lo”, afirmou Joílson Cardoso, citando uma das ideias do médico e ex-senador Jamil Haddad (falecido em 2009).
Metodologia
Além da abertura do diálogo pelo ministro Gilberto Carvalho, o secretário-adjunto da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Fernando Menezes, fez uma apresentação sobre o Mais Médicos e esclareceu dúvidas sobre a metodologia de implantação do Programa e questões como contratação de médicos, infraestrutura e formação.
Lançado pela presidenta Dilma Rousseff no dia 8 de julho, o Mais Médicos integra um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, que objetiva levar mais médicos para regiões onde há escassez e ausência de profissionais. O programa prevê ainda mais investimentos em infraestrutura de hospitais e unidades de saúde em todo o país.
A primeira etapa do programa contou com a inscrição individual de 1.618 profissionais, que irão atuar em 579 postos da rede pública, em cidades do interior do país e periferias de grandes centros. Deste total, 1.096 médicos com diploma brasileiro começam a trabalhar no dia 2 de setembro. Os estrangeiros começam a atuar no dia 16 de setembro.
Outros 3.600 médicos cubanos devem chegar ao país até o final do ano, para trabalhar pelo programa, totalizando 4 mil profissionais para atuar na iniciativa por meio de um termo de cooperação assinado entre o Ministério da Saúde brasileiro com a Opas. Com a implantação do Mais Médicos, espera-se aumentar o número de vagas de medicina e de residência médica, além do aprimoramento da formação médica no Brasil.

Fonte: Portal CTB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário