6 de mar de 2014

O Dia da Mulher são todos os dias


Por Rogerlan Augusta de Morais
Diretora do Dep. Jurídico do SAAEMG


O SAAEMG rende suas homenagens a todas as mulheres, em especial às Auxiliares de Administração Escolar, estas que compõem mais de 65% da categoria. Pelo simples fato de ser escola o nosso local de trabalho, poder-se-ia imaginar que as relações neste espaço fossem de vanguarda. No entanto, não é o que acontece! Nos estabelecimentos de ensino é marcante a diferença salarial entre gêneros. Enquanto a média salarial dos trabalhadores é de R$ 1.751,84, a das trabalhadoras fica em apenas R$ 1.310,47, ou seja, a média salarial da mulher trabalhadora no estabelecimento privado de ensino é 33% menor do que a do homem. O SAAEMG registra a importância da igualdade de gênero como forma de alcançar uma sociedade mais justa e equilibrada.

Origem

Em 1903, profissionais liberais norte-americanas criaram a Women´s Trade Union League. Esta associação tinha como principal objetivo ajudar todas as trabalhadoras a exigirem melhores condições de trabalho.

Em 1908, mais de 14 mil mulheres marcharam nas ruas de Nova Iorque: reivindicaram o mesmo que as operárias no ano de 1857, bem como o direito de voto. Caminhavam com o slogan “Pão e Rosas”, em que o pão simbolizava a estabilidade econômica e as rosas uma melhor qualidade de vida.

Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 08 de Março como Dia Internacional da Mulher.

O dia 08 de Março é, desde 1975, comemorado pelas Nações Unidas como Dia Internacional da Mulher. No dia 08 de março de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de horário de mais de 16 horas, por dia, para 10 horas. Estas operárias, que recebiam menos de um terço do salário em comparação aos salários pagos aos homens, foram fechadas na fábrica onde foi provocado um incêndio. Cerca de 130 mulheres morreram queimadas.

No Brasil, o dia é amplamente divulgado também através da “Marcha das Margaridas”, estratégia política construída pelas mulheres trabalhadoras rurais para combater a fome, a pobreza e a violência sexista. Margarida Alves foi brutalmente assassinada pelos usineiros da Paraíba, em 12 de agosto de 1983 e tornou-se um grande símbolo da luta das mulheres por terra, trabalho, igualdade, justiça e dignidade.

Importância

Entendemos que, na verdade, a mulher não precisa de um dia específico. O seu dia são todos os dias, pois são atuantes, guerreiras e batalhadoras em seu cotidiano. Cumpre várias jornadas diárias, desdobrando-se no papel de trabalhadora, mãe, esposa, filha e amiga sem descanso e, muitas vezes, sem o reconhecimento de seus esforços para dar conta de tantas tarefas.

O dia 08 de março deve ser lembrado e discutido como um marco, um basta à sociedade machista que discrimina e marginaliza a mulher dificultando seu acesso à educação, sua participação na política, em cargos de liderança nas empresas, sociedade que a considera como um ser inferior ou propriedade de homens que para fazer valer seu machismo, no auge da ignorância assedia, bate, estupra e até mata em nome de um amor doentio e perverso.

Essa data deve chamar a atenção para questões que ainda hoje retratam a inferioridade da mulher como, por exemplo, a discriminação profissional. O IBGE mostra em sua última pesquisa (2009) que enquanto 61,2% das trabalhadoras tinham 11 anos ou mais de estudo, ou seja, pelo menos o ensino médio completo, para os homens este percentual era de 53,2%. Destaca-se ainda que a parcela de mulheres ocupadas com curso de nível superior completo era de 19,6%, superior ao dos homens, 14,2%. Ainda assim, o rendimento de trabalho das mulheres, estimado em R$ 1.097,93, continua sendo inferior ao dos homens (R$ 1.518,31). Em 2009, comparando a média anual dos rendimentos dos homens e das mulheres, verificou-se que, em média, as mulheres ganham em torno de 72,3% do rendimento recebido pelos homens. Em 2003, esse percentual era 70,8%.
Diante de tantas dificuldades e de tantos empecilhos que obstaculizam a ascensão da mulher em várias áreas, o Governo, através da Secretaria de Políticas para Mulheres, elaborou o Plano Nacional de Políticas para Mulheres, que traz como pontos principais:

1 - Igualdade no mundo do trabalho e autonomia econômica.
2 - Educação para igualdade e cidadania.
3 - Saúde integral das mulheres, direitos sexuais e direitos reprodutivos.
4 - Enfrentamento de todas as formas de violência contra as mulheres.
5 - Fortalecimento e participação das mulheres nos espaços de poder e decisão.
6 - Desenvolvimento sustentável com igualdade econômica e social.
7 - Direito à terra com igualdade para as mulheres do campo e da floresta.
8 - Cultura, esporte, comunicação e mídia.
9 - Enfrentamento do racismo, sexismo e lesbofobia.
10 - Igualdade para as mulheres jovens, idosas e mulheres com deficiência.

Sabemos que no dia-a-dia a luta por igualdade de gênero em todos os âmbitos é árdua, mas, ainda assim o tempo tem mostrado que temos avançado. Não obstante tantos entraves e perversidades, as mulheres estão cada vez mais conquistando o seu espaço e o seu lugar na sociedade. São incansáveis e jamais fogem à luta. Tudo que querem é ser respeitadas.


Fontes
IBGE:


Secretaria de Políticas para as Mulheres: http://spm.gov.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário