29 de jul de 2014

BH tem série de atos contra terrorismo de Israel; embaixador palestino estará na capital mineira para programação


                                           

O movimento social, sindical e popular do mundo se levanta para denunciar as revoltantes ações do Estado criminoso de Israel. Em Belo Horizonte, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Minas Gerais (CTB-Minas) em conjunto com diversos sindicatos e entidades sociais, organiza atos em solidariedade ao povo palestino. Nesta quarta-feira (30), o embaixador da Palestina Ibrahim Mohamed Khalil estará na capital mineira para participar das atividades programadas pelo Comitê Mineiro de Solidariedade ao Povo Palestino. Entre as atividades, Ibrahim Mohamed estará no Sindicato dos Professores da rede Privada (Sinpro-Minas) para gravação do programa Extra Classe e no Sindicato dos Jornalistas para coletiva de imprensa e debate com militantes.  


O programa de televisão que será exibido no próximo sábado (2/9), às 8h da manhã, na TV Band Minas. Além da programação desta quarta, a CTB-Minas e demais entidades realizaram dois atos na Praça 7, centro de Belo Horizonte, com objetivo de chamar a atenção para a barbárie que acontece no Oriente Médio. Assim como aconteceu em Belo Horizonte, as manifestações mostraram o apoio e a solidariedade à resistência do povo palestino contra o terrorismo do Estado sionista israelense.


A (CTB-Minas) repudia veemente a ação genocida do governo de Israel que atinge o povo palestino, matando centenas de crianças, jovens, idosos, homens e mulheres inocentes. A ocupação criminosa do Estado de Israel no território palestino não pode ter o silêncio das comunidades internacionais. Este é o ataque mais sangrento desde 2012 que até o momento matou mais de 600 palestinos, a maioria civil. Exigimos que as Nações Unidas (ONU) intervenha imediatamente para acabar com o banho de sangue promovido por Israel.


A CTB-Minas vai intensificar o dialogo com a classe trabalhadora e ecoar para o mundo a necessidade de cessar o massacre e encerrar a ocupação israelense na faixa de Gaza.     

Não é guerra, é genocídio!







Fotos do ato na Praça Sete no dia 25 de julho








Na terça-feira (22/7), movimentos sociais, sindicatos e partidos progressistas se reuniram no Sindicato dos Jornalistas e refundaram o Comitê Mineiro de Solidariedade ao Povo Palestino




Abaixo material produzido pela CTB-Minas que aponta as 10 mentiras de Israel sobre o massacre da Palestina.





Nenhum comentário:

Postar um comentário