23 de jun de 2015

Movimentos sociais e sindicais se unem para impedir despejo de famílias em BH



Os moradores das ocupações Resiste Isidoro - Rosa Leão, Vitória e Esperança - receberam apoio dos movimentos sociais e sindicais, incluindo a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-MG) e reabriram as negociações para evitar o despejo de mais de 8 mil famílias na região norte de Belo Horizonte. A reintegração de posse foi suspensa e o governo mineiro terá agora 15 dias para  apresentar uma contraproposta para o destino dos moradores. Durante este prazo deverá acontecer também a apuração das violências cometidas pela Polícia Militar. Cenas de truculência e abuso de poder pela PM foram flagradas durante a manifestação pacífica dos movimentos de ocupação na última sexta-feira (19/06).

O acordo aconteceu em reunião na Defensoria Pública na segunda-feira (22). A negociação foi acompanhada pela CTB-MG, CUT, MST, MAB, Brigadas Populares, Comissão Pastoral da Terra, dentre outros movimentos. Parlamentares também participaram da reunião para mediar o acordo. Para o presidente da CTB-Minas, Marcelino da Rocha, destacou a importância da retomada do dialogo e o encaminhamento dos quatro pontos acordados na reunião de negociação.

Além de uma proposta que garanta o direito à moradia das famílias, a CTB-Minas exige a punição dos excessos da polícia.  Enquanto moradores das ocupações se organizavam protesto na MG-10 contra a ordem de despejo, com a presença inclusive de crianças no local, a ação policial se mostrou desproporcional e violenta. O uso de bala de borracha, bombas e spray de pimenta foi usado em um comando desastroso  da polícia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário