19 de nov de 2016

CTB-MG repudia ação violenta da polícia na UFMG




Com bombas, balas de borracha e invasão da UFMG,  a Polícia Militar de Minas Gerais protagonizou mais uma ação de brutal agressão gratuita a uma manifestação em Belo Horizonte. O caso aconteceu nesta sexta-feira (18) na portaria central do campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em um protesto pacífico, estudantes que ocupam a Universidade, fecharam s pista da Avenida Antonio Carlos sentido centro para denunciar o ataque aos brasileiros que representa a PEC 55, em tramitação no Senado, e a Medida Provisória de reforma do ensino médio proposta pelo governo golpista de Temer. A reação da PM foi inexplicável e desproporcional. Vídeos mostram a truculência dos policiais que no final da manifestação estudantil disparam um arsenal de bombas de gás lacrimogêneo, gás de pimenta e tiros de balas de borracha. A dispersão dos estudantes foi imediata e, ainda assim, a PM invade a UFMG, território nacional, para continuar as agressões. A CTB-MG repudia o abuso da força policial, o descumprimento constitucional que ameaça gravemente nossa democracia e exige do governo mineiro punição imediata para conter a onda de excessos que a PM vem comentando. 

Essa não é a primeira vez que a PMMG utiliza do aparato policial para intimidar e agredir mobilizações populares. A agressão na UFMG deixou estudantes feridos que foram levados para hospitais da região. A UFMG já tem 18 prédios ocupados em protestos às medidas do governo golpista.  Professores e técnicos iniciaram movimento grevista. A PEC 55, conhecida como PEC da Morte, pretende congelar os investimentos públicos no Brasil nos próximos 20 anos. Na prática, esse é o projeto de estrangulamento das escolas públicas, do SUS e das políticas sociais. É contra o sucateamento do Brasil que essas ocupações, os movimentos sindical, estudantil e social lutam e resistem.

Veja vídeos de alguns dos momentos da violência policial:  

video

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário