30 de jun de 2017

Greve Geral: Minas parou mais uma vez para barrar ofensiva contra os trabalhadores




Milhares de trabalhadoras e trabalhadores, de diversas categorias, voltaram às ruas de Belo Horizonte nesta sexta-feira (30/06) durante a segunda Greve Geral do ano contra as reformas trabalhistas e da previdência. A concentração na capital mineira começou às 9 horas na Praça Sete. Por volta das 11h30, os manifestantes fecharam os dois sentidos da Avenida Amazonas e Afonso Pena por cerca de uma hora. Antes disso, logo cedo, diversas rodovias da região metropolitana foram fechadas pelo movimento grevista. Além da manifestação, diferentes categorias aderiram à greve. O metrô ficou 100% paralisado e setores como saúde, educação, eletricitários, correios e petroleiros também participaram do movimento. No interior do Estado, as mobilizações também se mantiveram fortes. 

Durante a manifestação, os mineiros foram informados sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de blindar Aécio Neves e reconduzi-lo ao Senado. A informação foi recebida com muito protesto. Aos gritos de Fora Temer, os manifestantes seguiram em passeata até a Assembleia Legislativa (ALMG) para participarem de audiência pública que denuncia os riscos das ‘reformas’.  No trajeto, os dirigentes sindicais e de movimentos populares se alternavam nos carros de som para debater com população a conjuntura no Brasil.   

Veja aqui as informações sobre a audiência pública realizada na ALMG com a participação das centrais sindicais após o ato que marcou a paralisação desta sexta.



Concentração começou cedo na Praça Sete







Giro pelas mobilizações no interior:






Nenhum comentário:

Postar um comentário