26 de mar de 2012

CTB Minas repudia agressão de vereador à presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos de Manga


A CTB Minas repudia as agressões verbais proferidas pelo vereador do Município de Manga (Norte de Minas) Evilásio Amaro Alves (PPS) contra a professora e presidenta do Sindicato dos Trabalhadores Municipais daquela cidade, Gilvânia Silva Carvalho, na última sexta-feira, 23.
Segundo Gilvânia, o vereador, que pertence à base do prefeito Joaquim de Oliveira Sá Filho, a chamou de incompetente e p... pelo fato de ela o ter questionado sobre a aplicação dos recursos do Fundeb recebidos pela prefeitura.
A agressão ocorreu logo após o término da reunião extraordinária da Câmara realizada no dia 23, em que os vereadores, atendendo a solicitação do Sindicato, se recusaram a votar um projeto de lei do Executivo Municipal que reajustaria os salários dos profissionais em educação do Município em 5%, sem qualquer discussão com a categoria.
Atingida em sua honra, a dirigente sindical, acompanhada de educadores, populares e vereadores que testemunharam a agressão, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Militar e disse que pretendo mover uma ação judicial contra o vereador por danos morais.
“Jamais esperava de um vereador, que também é professor, uma atitude desrespeitosa como esta. Dinheiro algum vai pagar os prejuízos morais que tive, mas faço questão de levar o caso à Justiça para que fatos como estes não se repitam”, disse.
Reajuste
Nos meses de janeiro e fevereiro, segundo a diretora do Sindicato, o Prefeitura de Manga recebeu mais de R$ 1,4 milhão de verba do Fundeb. Deste total, 60% deveriam ser utilizados para o pagamento dos trabalhadores, o que, na avaliação da dirigente sindical, permite ao governo municipal conceder um reajuste maior que os 5% anunciados.
“Em Manga, sempre impuseram goela abaixo dos servidores reajustes sem qualquer discussão com a categoria. Desde a fundação do nosso Sindicato, há três anos, a categoria tem se conscientizado e não aceita mais a imposição da prefeitura”, disse Gilvânia. Segundo ela, a luta dos trabalhadores em Educação de Manga é pelo piso nacional.
Com a recusa dos vereadores em votar o projeto do reajuste, o Sindicato dos Servidores encaminhará um ofício ao prefeito solicitando uma reunião em caráter de urgência para tratar do assunto. A entidade também enviará uma nota de repúdio à Mesa Diretora da Câmara pedindo providências contra o vereador Evilásio Amaro Alves pelas agressões verbais desferidas à dirigente sindical.
Para a CTB Minas, democracia é sinônimo de negociação e busca de consenso. A voz dos trabalhadores tem que ser ouvida e seus interesses, antes de tudo, respeitados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário