17 de mai de 2012

CTB Minas e Sindifogos se reúnem com trabalhadores de Santo Antônio do Monte por mais segurança e melhoria das condições de trabalho nas fábricas de fogos

A CTB Minas e o Sindicato dos Trabalhadores de Fogos de Artifício (Sindifogos) promoveram uma assembleia com os trabalhadores de Santo Antônio do Monte, na Região Centro-Oeste do Estado, na última quarta-feira, 16, para debater as más condições de trabalho nas fábricas de fogos da região.
A assembleia contou com a presença do vice-presidente da CTB Minas, José Antônio de Lacerda, o Jota, e do secretário de Comunicação Gelson Alves da Silva; dirigentes do Sindifogos e de cerca de 700 trabalhadores.
No último dia 8, mais dois trabalhadores, Claudiomar Custódio da Silva, 41 anos,  e André Luiz da Silva, 37 anos, perderam suas vidas em uma explosão na fábrica de fogos de artifício Estrela, na Zona Rural de Santo Antônio do Monte. Dois galpões da fábrica teriam sido atingidos pela explosão. Em 2011, outros quatro companheiros também morreram em acidentes na região.
Para que tragédias como estas não se repitam, no dia 8 a CTB Minas encaminhou ofícios à Superintendência Regional do Trabalho, Ministério Público do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho, Secretaria de Estado de Trabalho, Ministério do Trabalho, Procuradoria Federal do INSS, Exército Brasileiro, Conselho Nacional de Justiça e Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Monte denunciado a morte dos trabalhadores e pediu providências urgentes para a melhoria dos condições de trabalho nas fábricas de fogos.
A CTB Minas também solicitou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais a realização de uma audiência pública para debater os acidentes no trabalho e sugeriu ao Ministério Público do Trabalho e à Secretaria Regional do Trabalho a formação imediata de uma força tarefa, acompanhada de representação sindical, para investigar a explosão adotar medidas preventivas para se evitar novos acidentes. A audiência pública deverá ser realizada em junho.
Para a CTB Minas, a vida humana não é mercadoria e a segurança no trabalho é direito fundamental. “A CTB Minas não permitirá que mais esta tragédia seja tratada como as inúmeras ocorridas no último período na região. Cabe ao Poder Público tomar medidas efetivas para se evitar que mais trabalhadores sejam assassinados em pleno exercício de suas atividades pela ganância do capital que explora e mata”, disse o vice-presidente da CTB Minas.
Na assembleia, os trabalhadores aprovaram o reajuste salarial de 10% e cesta básica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário