17 de mai de 2012

Servidores administrativos de escolas municipais de Ibirité entram em greve

Pouco mais de um mês após o magistério de Ibirité ter encerrado uma greve, agora são os servidores administrativos das escolas municipais que estão de braços cruzados. Desde a última quarta-feira, 16, auxiliares de secretaria, biblioteca e administrativos; serventes e secretários escolares estão parados. Segundo o Sindicato Único em Educação em Ibirité (Sind-UTE), a paralisação atinge mais de 70% das escolas.
Os trabalhadores reivindicam redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais e reajuste salarial, já que a categoria não obteve sequer a reposição da inflação dos últimos 12 meses.
Indignada com a negativa da prefeitura em atender às reivindicações, a categoria também está revoltada com o secretário municipal de Governo, Hervê de Melo, que teria declarado na última reunião de negociação que a categoria “coça o saco” ao invés de trabalhar.

Em nota, o sindicato repudiou a declaração do secretário e lamentou a forma como o governo municipal tem tratado os trabalhadores, indispensáveis no processo educacional e funcionamento da escola.
“Todos que trabalham no ambiente escolar contribuem diretamente para a formação dos alunos. Portanto, também são educadores e merecem o mesmo respeito e tratamento que os demais profissionais”, disse a nota do Sind-UTE.
Em protesto contra o governo municipal, dezenas de trabalhadores saíram em passeata pelas principais ruas do centro da cidade. 
Fonte: Sind-UTE/Ibirité. Fotos: Renan Mendes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário