12 de ago de 2013

Fitmetal diz não à terceirização e conclama centrais e partidos para lutarem contra o Projeto de Lei 4.330/2004

Em nota divulgada no dia 8 de agosto, a Executiva da Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal) rechaça qualquer consenso em relação ao projeto de lei que regulariza a terceirização e afirma que ela só beneficia aos patrões, em particular aos das empresas transnacionais.
“A Executiva Nacional da Fitmetal, reunida em São Paulo, vem manifestar-se veementemente contrária a qualquer consenso em torno do PL 4.330/2004, de autoria do deputado federal Sandro Mabel (PR - GO)”, disse a nota.
Segundo a Federação, são muitos os prejuízos que o projeto poderá causar aos trabalhadores em caso de aprovação. “A terceirização prejudica os trabalhadores e trabalhadoras do serviço público e privado; rebaixa salários, diminui benefícios, amplia a rotatividade e divide a organização política dos trabalhadores”.
Escancarar a terceirização da atividade-fim e acabar com a responsabilidade solidária são mecanismos que reforçam os setores patronais, em particular os transnacionais, que não coadunam com o projeto nacional de desenvolvimento com valorização do trabalho, acrescenta a nota da Fitmetal.
Por fim, a entidade convoca as centrais sindicais e os partidos políticos ‘comprometidos com as causas do povo brasileiro’ para lutarem contra o projeto. “Não devemos aceitar reveses nos direitos dos trabalhadores”.

Fonte: Fitmetal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário