17 de out de 2013

Metalúrgicos do setor naval conquistam reajuste salarial de 9,5% no Rio de Janeiro

Os metalúrgicos do setor naval do Rio de Janeiro conquistaram um aumento salarial de 9,5%, o maior reajuste salarial do País entre todas as categorias que já fecharam sua campanha neste ano. O reajuste foi aprovado em assembleia realizada na última terça-feira, 15 (foto).
O índice de 9,5%, retroativo a 1º de outubro, representa um aumento real de 3,81%, com uma inflação do período de 5,69%. Esse valor é o maior registrado entre as diversas categorias de trabalhadores do Brasil.
Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, João Alves de Almeida, esta conquista dos trabalhadores do Rio de Janeiro é um exemplo de que os metalúrgicos de Minas podem obter um reajuste maior do que os 5,9% oferecido pelos patrões da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).
“Devemos seguir os companheiros do Rio e intensificar a luta por um aumento salarial decente. O primeiro passo neste sentido é os trabalhadores comparecerem em massa na assembleia que será realizada pelo Sindicato no próximo domingo (20), no Clube dos Metalúrgicos, em Betim”, afirma João Alves.
Aumento do piso
Além do reajuste salarial, o piso profissional qualificado dos metalúrgicos do Rio passa a ter o valor de R$ 2.148,89. O piso de ajudante será de R$ 1.290,73. O esmerilhador terá um salário de R$ 1.615,12.
Outra importante conquista foi em relação à hora-extra, que terá o acréscimo de 100% nos sábados, domingos e feriados e após as duas horas prestadas de serviço de segunda a sexta. Até duas horas, durante a semana, o acréscimo será de 50%. Os trabalhadores do setor naval também garantiram o aumento do vale-alimentação para R$ 280,00.
O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Alex Santos, afirmou que esta foi uma importante conquista dos metalúrgicos do setor naval, apesar de não ter sido possível alterar a data-base para 1º de maio, como estava combinado com o patronato.
“Não foi uma campanha fácil, foi diferente, pois começamos em maio. Tínhamos combinado a mudança da data-base, o que não ocorreu. Por outro lado, conquistamos o maior aumento real entre todas as categorias, isso mostra a força dos trabalhadores no Rio de Janeiro”.

Fonte: Departamento de Imprensa Sindbet e Portal CTB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário