23 de jan de 2014

Centrais acionam TRT sobre criminalização dos movimentos sindicais e planejam Plenária Unificada

Reunião discutiu terceirização, piso salarial regional e ações 
contra o cerceamento da atividade sindical em Minas



A CTB-Minas e as demais centrais sindicais definiram a programação da Plenária Nacional das Centrais Sindicais que acontece no dia 22 de fevereiro na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O assunto foi tratado em reunião nesta quinta-feira (23/01) que teve como pauta também as práticas antissindicais ocorridas em Minas que criminalizam o movimento sindical, como as concessões pela Justiça de interditos proibitórios. As Centrais irão requerer uma audiência com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) com o objetivo de questionar as ações que cerceiam a atividade sindical.

A reunião desta quinta-feira contou com a presença da advogada Helen Hazan, da seção de Minas Gerais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e defensora dos movimentos sindicais e sociais e os advogados Antônio Manhães, Leonardo Fazito e Ana Paula Campos, que atuam juntamente com Helen Hazan.

Helen Hazan afirmou que irá apresentar uma proposta às centrais de ação contra o interdito proibitório, o projeto lei que amplia a terceirização de autoria do deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB) e a criminalização dos movimentos sindicais e sociais. O objetivo é garantir o direito de greve com um projeto comum defendido pelas centrais em todo o Brasil.  

Além da CTB-Minas, participaram da reunião  representantes da CUT/MG, NCST, CPS Conlutas e Força Sindical.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário