12 de mar de 2014

Metalúrgicos de Betim (MG) vão às urnas para renovação para diretoria do Sindicato



Os metalúrgicos sócios do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas, em Minas Gerais, começam a ir às urnas nesta quarta-feira (12), quando tem início o processo eleitoral para renovação da diretoria da entidade. As votações prosseguem até a próxima sexta-feira (14).

Para votar, no período de 9 horas às 18 horas, os metalúrgicos sócios do Sindicato terão à disposição urnas fixas que estarão instaladas em sua sede, no centro de Betim; no Centro de Atividades Técnicas do Trabalhador (CATT), escola profissionalizante mantida pelo entidade, e também em sua subsede.

Votos também serão colhidos em urnas itinerantes que irão percorrer as fábricas metalúrgicas instaladas nas regiões de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas, que compõem a base de representação do Sindicato.

Única inscrita para participar das eleições, a Chapa 1 – Garra Metalúrgica é encabeçada pelo atual presidente da entidade, João Alves de Almeida, que concorrerá, desta forma, ao seu segundo mandato à frente do Sindicato.

Para João Alves, a presença de apenas uma chapa na eleição aumenta a importância da participação dos sócios na votação. “É uma forma de reafirmar a confiança que os associados do Sindicato têm na maneira como a vida da entidade vem sendo conduzida nos últimos anos, com a defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, na luta contra as perseguições e injustiças dentro das fábricas e, claro, no cuidado e a transparência com o patrimônio da categoria”, destaca.

João Alves faz questão de frisar que o programa de trabalho da Chapa 1 já foi apresentado à categoria através da distribuição de materiais impressos e informações que vêm sendo divulgadas, em redes sociais, desde o início do processo eleitoral.

“Renovação, com democracia e luta”

A Chapa 1 – Garra Metalúrgica, que tem como mote a frase “Renovação, com democracia e luta”, apresenta uma renovação de 25% entre os membros para a nova diretoria, com metalúrgicos oriundos de empresas como a Fiat Automóveis, Nemak, Teksid, Toshiba, Denso Térmicos, Denso Rotantes, Magna, SAE Towers, dentre outras.

Dentre os princípios que irão nortear as ações da Chapa 1 – Garra Metalúrgica na condução da entidade pelos próximos três anos estão a defesa de uma base classista, unitária, democrática, plural e de luta, num projeto político que está em sintonia com o que prega a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), à qual o Sindicato é filiado.

De acordo com João Alves, o projeto defendido pela Chapa 1 tem como essência a melhoria das condições de trabalho de uma forma geral para os trabalhadores da categoria em Betim, que devem se valer de instrumentos que possam permitir a eles enfrentar os obstáculos impostos pelas empresas contra a falta de democracia, a liberdade de organização e autonomia dentro das fábricas. “Por isso, iremos reforçar as ações que visem a ampliar e tornar mais efetiva a participação dos metalúrgicos nas lutas políticas e na vida do próprio Sindicato”, reforça.

O programa de trabalho da Chapa 1 – Garra Metalúrgica tem ainda como princípios, no plano nacional, a defesa da ampla unidade e fortalecimento da classe trabalhadora, fator fundamental que deve ser priorizado em torno de uma plataforma de resistência e luta e da defesa de reivindicações importantes para os trabalhadores.

“Neste sentido, a partir da lutas no plano local, ou seja, em Betim e região, é que o projeto político da Chapa 1 – Garra Metalúrgica reforça a necessidade de ações de mobilização e unidade dos trabalhadores rumo à realização de reformas estruturais no Brasil, para assegurar a soberania nacional, defender a democracia e o progresso social, com base num novo projeto de desenvolvimento, que tenha como norte a valorização do trabalho, dos trabalhadores, dos salários e das condições de trabalho”, completa João.


Por Eduardo Durães (JP 05149 MG) e Eliezer Macedo Dias (MG 06553 JP)

Departamento de Imprensa Sindbet

Nenhum comentário:

Postar um comentário