14 de ago de 2014

Pressão sindical e social derruba PEC da privatização na ALMG




A pressão do movimento social, centrais sindicais e sindicatos conseguiu que deputados estaduais da base do governo desistissem da tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 68, que permitia a privatização da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig). Desde o fim de junho, quando a PEC 68 entrou em tramitação que a CTB Minas, sindicatos e outras centrais sindicais organizaram manifestação para denunciar a intenção do governo de Minas Gerais de entregar o patrimônio do povo a empresas privadas, com destaque para a multinacional espanhola Gás Natural Fenosa (GNF).

A vitória dos trabalhadores mostra que a pressão popular tem muita força quando está organizada e com unidade.   

“Este não é o momento para discutir o assunto no Legislativo”. Foi esta a avaliação do líder do governo, deputado Luiz Humberto Carneiro (PSDB), que falou ao Portal Uai a pretensão de colocar novamente em pauta a proposta depois da eleição. 

A CTB-Minas destaca a unidade do movimento social e sindical na mobilização contra a PEC que ameaçava as estatais mineiras. O Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de minérios e derivados de Petróleo de Minas Gerais (Sitramico), filiado à CTB,  também fez parte do movimento em conjunto com demais sindicatos representando os trabalhadores da Gasmig.

Ao propor a privatização da Gasmig, a PEC também abria brechas para entregar a Cemig e a Copasa ao capital privado.

Além dos protestos no legislativo, a CTB-Minas também incentivou a votação contraria a PEC no site da ALMG. Foram 980 votos contra e apenas 19 a favor no espaço aberto do portal do legislativo mineiro.    

CTB-Minas esteve presente na ALMG para pressionar derrubada da PEC

Nenhum comentário:

Postar um comentário