15 de mar de 2016

CTB-MG se prepara para tomar as ruas de Belo Horizonte no dia 18



Com intuito de organizar as mobilizações para o dia 18 de março e aprofundar a formação dos ctebistas mineiros em torno do acirramento das disputas políticas, a CTB-MG promoveu nesta terça-feira (15/03) um debate da diretoria estadual da Central. Debates produtivos e propostas de encaminhamentos fizeram da reunião um importante passo para construção do dia de lutas, marcado para sexta-feira com concentração a partir das 16 horas na Praça Afonso Arinos, centro da capital. O auditório lotado e representativo apontou a necessidade de dialogar com as bases, nos locais onde está a classe trabalhadora, seja na periferia, no centro da cidade, nas estações de metros, portas de fábrica, escolas e locais de trabalho. Durante a semana, a CTB-MG terá calendário de panfletagem e atividades para intensificar este debate.

O espaço crescente da extrema-direita na sociedade brasileira e o papel fundamental do movimento sindical para barrar essa ofensiva foram destacados pelo vereador do PCdoB e ex-presidente da CTB-MG, Gilson Reis. Segundo ele, o objetivo central do setor conservador é atacar os trabalhadores. Gilson fez um histórico dessa articulação da direita que desde 2013 se articula para fazer uma ruptura com o projeto popular em curso no país. Para ele, a jornada de Julho iniciou com uma pauta de mais intervenção do Estado e essa narrativa foi guiada e alterada para as bandeiras conservadoras que hoje se vê nas manifestações convocada pela direita com apoio da mídia.


Gilson fez um alerta aos sindicalistas que ainda não se envolveram no debate que está travado no Brasil. “Não adianta ficar pensando na campanha salarial se amanhã ou depois a terceirização acabar com nossa categoria ou a previdência arrancar nossos direitos. Eles querem é acabar com a política de salário mínimo e outros avanços que tivemos para a classe trabalhadora” apontou.  
      
A CTB-MG reforçou a necessidade de ampliar as forças democráticas com a participação de diferentes atores progressistas que querem lutar contra o golpe. Dentro do calendário de lutas, Minas Gerais será um dos Estados mais importantes na mobilização para o ato organizado no dia 31 de março em Brasília. Além dessas datas, o 21 de abril e o primeiro de maio foram lembrados como momentos cruciais nessa batalha que tomou as ruas. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário