4 de fev de 2010

Golpe de mestre: pobres pagam a conta

Por Davidson Nascimento


Marcio Lacerda, prefeito de Belo Horizonte deu um golpe de mestre ao extinguir a isenção do IPTU dos menos favorecidos.


Em uma conversa, o aposentado Sr. João Soares - morador da regional nordeste de Belo Horizonte - e a dona de casa Tereza Alves, de Venda Nova, me fizeram a seguinte observação: “não escolhi o Marcio para governar a minha cidade. Ele é empresário e não pensará nos menos favorecidos”. Dito e feito.

O resultado da grande polêmica “implantada” na Câmara Municipal de Belo Horizonte no final do ano de 2009 é que o prefeito aumentaria o IPTU dos ricos. Orientados pelo prefeito, os vereadores e vereadoras da base do governo municipal apresentaram este discurso em plenário. Toda a imprensa embarcou. A maioria da população não deu a devida importância à polêmica. Ela pensou que não seria atingida, por não ser rica.

Enquanto isso, nos bastidores, a equipe econômica do prefeito Marcio Lacerda, grupo hegemônico vinculado à classe mais abastarda de BH, articulava a verdadeira intenção do governo municipal: acabar com a isenção do IPTU, construída ao longo da última década pelos governos democráticos e junto dos menos favorecidos.

E foi assim, com muita esperteza e habilidade, que o tímido prefeito, o empresário Marcio Lacerda, enrolou a imprensa, os aposentados e os menos favorecidos. Extinguiu a isenção do IPTU não só para o Sr. João Soares e a Sra. Tereza, mas para a maioria das famílias atendidas até o ano de 2008.

Com o apoio da maioria dos (as) vereadores (as) de Belo Horizonte, este golpe foi consolidado. Com ele, muitos aposentados (assalariados) perderam o benefício. A partir de 05 de fevereiro de 2010, ficam obrigados a pagar a conta. Cada um vai desembolsar R$ 399,00 para o Tesouro Municipal.

É ou não golpe de mestre?

Davidson Nascimento é líder Comunitário, ex- Conselheiro Tutelar e Morador de Belo Horizonte.

Email: somosdeluta@hotmail.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário