16 de mai de 2011

Greve paralisa fábricas de fogos no centro-oeste mineiro


Os trabalhadores do polo produtor de fogos de artifício de Santo Antônio do Monte, Lagoa da Prata e Itapecerica, no centro-oeste mineiro, começaram uma greve nesta segunda-feira, 16/05. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores (Sindifogos), empregados de 19 fábricas participaram da greve, com adesão total em 08 empresas. Nas demais, uma média de 60% da força produtiva participa do movimento.

“O primeiro dia de greve foi excelente. Fizemos uma passeata, e ficamos surpresos com a mobilização dos trabalhadores. Eles estão revoltados com a precariedade do aumento oferecido pelo Sindiemg, e por isso estão dispostos a permanecerem parados até conseguirem o aumento”, informa Silvânia de Souza Pinto, diretora do Sindifogos.





“O movimento está crescendo, e a tendência é de haja mais adesão a partir desta terça-feira”, avalia José Antônio de Lacerda, o Jota, vice-presidente da CTB Minas. O Sindifogos tenta garantir pelo menos 12% de reajuste salarial, além de uma cesta básica mensal no valor mínimo de R$ 60. Atualmente, os trabalhadores recebem uma cesta de R$ 50 por ano, a cada mês de dezembro. Isso significa que eles têm apenas R$ 0,13 por dia para garantir sua alimentação.

O Sindifogos informa que está aberto à continuidade das negociações, mas o sindicato patronal (Sindiemg) não marcou nova agenda. A categoria tem papel central na economia de Santo Antônio do Monte. Por esse motivo, o Sindicato entrou em contato com o prefeito Leonardo Lacerda Camilo (PR), na tentativa sensibilizá-lo quanto às reivindicações.

Foto: Murilo Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário